Ramo sacerdotal dos Arautos do Evangelho

Inesgotável em seus dons, o Divino Espírito Santo fez desabrochar no seio desta Associação laical vocações para o sacerdócio, inspirando dezenas de seus membros a se consagrarem generosamente a esse ministério para o serviço da Igreja.

No dia 15 de junho de 2005, na Basílica de Nossa Senhora do Carmo, em São Paulo, quinze deles, dentre os quais o seu  Fundador, João Scognamiglio Clá Dias, foram ordenados pelas mãos de Dom Lucio Angelo Renna, O.C., Bispo de Avezzano, Itália.

Estes sacerdotes foram encardinados à uma Sociedade Clerical de Vida Apostólica, então de direito diocesano. Virgo Flos Carmeli foi fundada por Mons. João Scognamiglio Clá Dias, E.P., tendo sido erigida pelo então bispo diocesano de Avezzano, Itália, Dom Lucio Angelo Maria Renna, O.Carm. a 15 de junho de 2006.

Em 2009, Dom José Maria Pinheiro, bispo diocesano de Bragança Paulista, onde se localiza atualmente a Casa Generalícia da Sociedade, somando o seu pedido ao de dezenas de outros irmãos no episcopado, solicitou o reconhecimento canônico de Virgo Flos Carmeli. Bento XVI aprovou esta sociedade como de direito pontifício no dia 4 de abril do mesmo ano.

O objetivo principal desta Sociedade é a santificação dos irmãos a ela pertencentes, bem como os aderentes das instituições co-irmãs dos Arautos do Evangelho, segundo a prática e o desenvolvimento dos respectivos carismas.

Entre as notas salientes de seu carisma, comum ao dos Arautos do Evangelho, estão uma esmerada prática da virtude da fortaleza - sobretudo na defesa da ortodoxia, da pureza dos costumes e do espírito de hierarquia -, assim como o empenho em reavivar em todos os homens a distinção entre o bem e o mal, especialmente através do pulchrum nas suas mais diversas formas de apresentação.

Em 2011, a Sociedade conta com 83 sacerdotes, 34 diáconos e 483 membros permanentes vivendo em 15 comunidades esparsas em nove países (Brasil, Colômbia, Itália, Peru, Espanha, Equador, El Salvador, República Dominicana e Paraguai).