UPB e Arautos, recente e profunda amizade

Quem toma um primeiro contato com os Arautos do Evangelho, vê, no tipo humano característico de seus membros e nas linhas do seu hábito, a expressão de um carisma, cujo peculiar apreço pelo belo  se manifesta na liturgia ou num modo de comportar-se disciplinado em todos os atos da vida cotidiana. Além disso, nota-se uma espiritualidade forte, manifestada no entusiasmo borbulhante dos seus aspirantes e que se reflete na dedicação incondicional à nova evangelização.

Dir-se-ia que o cultivo da beleza, a arraigada espiritualidade e a ação evangelizadora não se coadunam com os estudos teológicos e filosóficos, pois a disciplina, a oração e o apostolado podem, como é evidente, tolher o tempo para adentrar-se nas matérias acadêmicas. Este é o motivo pelo qual, num primeiro contato com os Arautos, pode-se apressadamente julgar que eles não primam pela ciência e pelo conhecimento.

Entretanto, a beleza, a espiritualidade e a evangelização não são um obstáculo ao estudo; nem mesmo se coadunam com eles por simples razão de conveniência. O amor à ordem, a vida interior e o apostolado exigem a formação do intelecto, sem o qual todas as atividades perdem seu vigor rumo à finalidade para a qual se ordenam.

O amor à beleza sem o estudo, facilmente se enredaria rumo à superficialidade, à frivolidade ou à vaidade; a oração, sem o contributo da teologia, se tornaria sem sabor, apenas movida pelos inconstantes bafejos do sentimento; a evangelização sem o conhecimento seria insuficiente, infrutuosa e, facilmente, poderia se tornar contra-producente.

A teologia e a filosofia conferem ao Arauto, mas também a todos os cristãos, uma profundidade de pensamento que se reflete em todos os atos da existência e que sustenta toda a vida de apostolado e de oração. Foi esta a conclusão a que Monsenhor João Clá Dias, EP e os primeiros membros dos Arautos do Evangelho chegaram, já nos primórdios da instituição, ao se dedicarem com empenho à ação evangelizadora. Sem aprofundar seus conhecimentos doutrinários, adquirindo uma profunda formação filosófico-teológica, não era possível a constituição de um movimento adequado às necessidades do Povo de Deus e à inspiração do Espírito Santo em suas almas.

Assim, sob a orientação de catedráticos dominicanos, especialmente de Salamanca, foi organizado em 1982, um curso regular de formação dos Arautos, denominado “Curso Teológico São Tomás de Aquino”, o precursor dos atuais Institutos de filosofia e teologia (IFAT e ITTA).

Ereção canônica do Instituto Teológico São Tomás de Aquino e do Instituto Filosófico Aristotélico Tomista

Com a aprovação pontifícia dos Arautos do Evangelho, a 22 de fevereiro de 2001, a Associação teve, a partir de então, um grande desenvolvimento. O afluxo de vocações exigiu a transladação do curso de formação do centro de São Paulo para instalações mais amplas, nas proximidades da capital, em bela e aprazível região montanhosa, na Serra da Cantareira, no território da Diocese de Bragança Paulista.

Em 15 de agosto de 2005, o então Bispo dessa diocese, Dom José Maria Pinheiro, aproveitando-se da estrutura existente do “Curso São Tomás de Aquino” erigiu dois Institutos Diocesanos, um Filosófico (Instituto Filosófico Aristotélico-Tomista) e outro Teológico (Instituto Teológico São Tomás de Aquino).

No ano de 2009, depois da aprovação Pontifícia da Sociedade Clerical de Vida Apostólica Virgo Flos Carmeli, o Bispo de Bragança Paulista houve por bem aceitar o pedido de transferência de propriedade do ITTA e do IFAT dos Arautos do Evangelho para a Virgo Flos Carmeli. Desta forma, segundo a recomendação de Dom José Maria, os dois institutos, já com cerca de 100 alunos  efetivos e mais de 120 cursando pós-graduações, deveriam caminhar com passos cada vez mais velozes e seguros rumo à filiação com uma Universidade Pontifícia.

O encontro com a Pontifícia Universidade Bolivariana

Ao contrário do que se poderia imaginar, a relação entre Arautos e a Bolivariana não se iniciou na Colômbia, mas, sim, em Roma. Corria o ano de 2008. Estando na Cidade Eterna, Mons. João Clá conversava com alguns membros dos Arautos sobre o impasse de escolha entre as diversas ofertas de filiação do ITTA e do IFAT. Com uma intuição comum entre os fundadores, recomendou que não se deveria realizar este trâmite na Europa, mas, sim, em Medellín. Para os circunstantes o inusitado conselho rompia todos os padrões, pois não havia indício palpável para tal esperança.

Nestes mesmos dias, um arauto colombiano, não informado desta sugestão do fundador, entrou em casual contato com um simpático Monsenhor, então professor na Universidade Pontifícia Bolivariana (UPB), o qual dispôs-se  a colaborar com os Arautos na Colômbia, inclusive em matéria acadêmica.

O alvo corria rumo à seta. Com esta providencial indicação, representantes do Instituto Filosófico-Aristotélico Tomista (IFAT) e do Instituto Teológico São Tomás de Aquino (ITTA) viajaram a Medellín onde foram acolhidos por parte da Direção da Universidade. Uma semana depois, a UPB e os Arautos do Evangelho iniciaram um diálogo, que logo se acrisolou numa profunda, afetuosa e profícua amizade.

Daí nasceram uma série de acordos de colaboração entre ambas as instituições, especialmente nas áreas de Teologia e Filosofia. Esta primeira fase se concretizou quando o Pe. Diego Alonso Marulanda Díaz, Decano da Escola de Teologia, Filosofia e Humanidades, e o Dr. Luís Fernando Fernández Ochoa, Diretor da Faculdade de Filosofia da UPB, viajaram a São Paulo para, além de conhecer mais de perto as instalações dos Institutos, acompanhar a vida acadêmica, aumentando a profunda amizade com a comunidade docente do ITTA e do IFAT.

Estabeleceu-se em 2009, um convênio de intercâmbio de professores e alunos, que facilitou, até o momento, que 71 Arautos, ex-alunos dos institutos, cursassem licenciatura ou doutoramento canônico na UPB. Além disso, os estudantes de filosofia e teologia do Seminário São Tomás de Aquino puderam beneficiar-se da frequente visita de professores da UPB ao Brasil para participar das  palestras e ciclos de conferências realizados PPR eles. Entre estes professores altamente qualificados, destacam-se Pe. Alberto Ramírez Zuluaga, Doutor em Teologia pela Universidade de Louvain; Pe. Carlos Arboleda Mora, Doutor em Filosofia pela UPB; Pe. Alberto Galeano OFM, Doutor em Teologia pela Gregoriana; Dr. Gonzalo Soto Posadas, Doutor em Filosofia pela Gregoriana; Dr. Luís Fernando Fernández, Doutor em Filosofia e Letras em Salamanca, e muitos outros, cuja competência profissional é tão excelente quanto a fidelidade ao Magistério da Igreja.

Filiação do ITTA e do IFAT com a Bolivariana

Esta amizade culminou, em novembro de 2010, com a visita do Secretário da Congregação para a Educação Católica, Dom  Jean-Louis Bruguès, a fim de ministrar o ciclo de conferências sobre “A Veritatis Splendor e a Teologia Moral hoje”. Mais uma vez, a Providência Divina fez coincidir a presença  deste ilustre prelado da Cúria Romana com a estadia no Brasil de membros exponenciais da Bolivariana como, Mons. Luís Fernando Rodríguez Velásquez, magnífico Reitor, Pe. Jorge Iván Ramírez, Vice-Reitor, e Pe. Diego Marulanda,  Decano da Escola de Filosofia, Teologia e Humanidades, com os quais Dom Bruguès compartilhou sob diversos prismas, as metas e desafios da atualidade no tocante à educação católica.

Este encontro permitiu que se dessem passos importantes rumo ao acordo de filiação de caráter eclesiástico do IFAT e do ITTA às Faculdades de Filosofia, Teologia e Humanidades da UPB. Além da maior fluidez nos intercâmbios de alunos e professores, isto permite que os seminaristas da Sociedade Virgo Flos Carmeli obtenham o bacharelado canônico em filosofia e teologia, os quais só podem ser concedidos por faculdades aprovadas ou por institutos a elas afiliados por um decreto da Santa Sé.

Inspirada pela Divina Providência na voz do Fundador, Mons. João Clá, a filiação dos Institutos IFAT e ITTA à UPB é o sinal visível desta entranhada amizade plasmada a nível institucional com um acordo aprovado pela própria Congregação para a Educação Católica. Aurindo a sabedoria nesta fonte de ciência e verdade, que é a Universidade Pontifícia Bolivariana, os Arautos do Evangelho visam melhor servir a Cristo e sua Igreja na ação evangelizadora neste início de milênio.